Search
Close this search box.

Itaú permitirá compra e venda de Bitcoin e Ether por clientes

O Itaú Unibanco, um dos maiores bancos privados do Brasil, lançou recentemente a opção de compra e venda de criptomoedas por meio da plataforma de investimentos Íon. Essa iniciativa coloca o banco em concorrência direta com outras instituições financeiras mais novas, como Nubank, BTG Pactual e XP, que já oferecem serviços semelhantes.

Inicialmente, apenas duas criptomoedas serão negociadas na plataforma do Itaú: o bitcoin e o ether, que são as duas maiores moedas digitais em valor de mercado. As transações terão um valor mínimo de R$ 10 e a possibilidade de comprar ou vender será liberada gradualmente para a base de clientes. A custódia dos ativos ficará a cargo do próprio Itaú.

Enquanto Itaú chega, outros saem

O Itaú é o primeiro dos bancos tradicionais a oferecer a negociação de criptomoedas, enquanto outras empresas estão deixando o mercado. Em outubro de 2023, a XP e o PicPay anunciaram que deixarão de oferecer esses produtos. A XP não revelou motivos, enquanto o PicPay apontou a indefinição regulatória.

Até agora, instituições mais jovens, como Nubank, BTG Pactual e Inter, além de empresas dedicadas às criptomoedas, como MB (antigo Mercado Bitcoin), Binance e Foxbit, entre outras, apostaram neste mercado. Até carteiras digitais, como a 99Pay e o Mercado Pago, também oferecem essa opção a seus clientes.

A legislação brasileira conta com o Marco Legal de Criptoativos, sancionado no fim de 2022. O Banco Central foi definido como responsável por monitorar o setor, mas ainda não apresentou uma regulamentação.

O bitcoin acumula alta de 130% em 2023. Em 2022, o colapso da FTX levou a um tombo de 64%.

Imagem: Marcelo Alves/Flickr | Informações: Reuters e Valor Econômico

Vinicius Junior

Vinicius Junior

Entusiasta da comunicação, Vinicius é Analista de TI e colaborador na revisão dos artigos deste blog, os quais são gerados por IA.