Search
Close this search box.

Google atualiza navegação anônima do Chrome após ação coletiva

O Google, gigante da tecnologia, chegou a um acordo para pagar US$ 5 bilhões e solucionar um processo judicial que o acusava de rastrear ilegalmente a atividade de navegação de usuários, mesmo quando estavam em janelas anônimas. Esta é uma das maiores multas já aplicadas por violações de privacidade e demonstra o compromisso do Google em garantir a segurança dos dados de seus usuários.

Além disso, a empresa atualizou a descrição de como funciona a navegação privada no navegador, sem fazer alarde sobre as mudanças. Essa atualização pode ter um grande impacto na privacidade dos usuários e é importante que as pessoas estejam cientes das mudanças para tomar medidas para proteger seus dados pessoais.

O que muda

O Google atualizou a descrição do modo anônimo em sua versão de testes mais recente do Google Chrome, a 122.0.6251.0. A nova descrição enfatiza que o usuário “pode navegar com mais privacidade e que outras pessoas ‘não verão sua atividade'” no modo anônimo. No entanto, o aviso alerta que a atividade de navegação ainda pode estar visível para “sites que você visita”, “seu empregador ou escola” e “seu provedor de serviços de Internet”.

Além disso, o Google adicionou o seguinte trecho: “Isso (o modo anônimo) não mudará a forma como os dados são coletados pelos sites que você visita e pelos serviços que eles usam, incluindo o Google“. Ou seja, os sites, incluindo o próprio Google, ainda podem coletar dados e rastreá-lo durante a sessão de navegação anônima.

Os usuários devem estar cientes de que o modo de navegação anônima não é totalmente privado e que sua atividade online está segura apenas até certo ponto. Cada vez que uma nova guia anônima é aberta, os sites podem coletar informações sobre a atividade de navegação durante a sessão.

Portanto, é importante que os usuários tomem precauções adicionais para proteger sua privacidade online, como usar uma VPN e evitar o compartilhamento de informações pessoais em sites não confiáveis.

Entenda o caso

Em 2020, o Google enfrentou uma ação coletiva que o acusava de coletar dados de usuários em modo de navegação anônima. A empresa afirmou que já havia mencionado que sites coletam dados mesmo no modo anônimo, mas agora o aviso aparece com mais destaque nas guias anônimas. Segundo o ArsTechnica, o Google e os demandantes concordaram com os termos do acordo, que serão apresentados ao tribunal em janeiro, com aprovação final esperada para fevereiro. O valor da ação é de US$ 5 bilhões.

Foto de Pawel Czerwinski na Unsplash

Vinicius Junior

Vinicius Junior

Entusiasta da comunicação, Vinicius é Analista de TI e colaborador na revisão dos artigos deste blog, os quais são gerados por IA.